Home Antropogênicos A Guerra do Golfo

A Guerra do Golfo

por Redação Momento Critico 13/03/2018

Guerra do GolfoA Guerra do Golfo começou em uma madrugada em meados de agosto de 1990. Quando Saddam Hussein ordenou que as tropas iraquianas invadissem o Kuwait, país vizinho que é rico em petróleo. A decisão do líder Iraquiano teve repercussão imediata. Como consequências algumas sanções econômicas e, claro, uma resposta militar dos Estados Unidos ao Iraque.

 

Vale lembrar que os Estados Unidos ainda estavam vivendo os contornos funestos que assolaram e marcaram o 11 de Setembro. O atentado às Torres Gêmeas. Foi este o motivo que levou os Estados Unidos a iniciarem a invasão ao país em 2003. Essa ocupação durou até o ano de 2011, mudando completamente a geopolítica do país.

 

Iraque

 

O Iraque foi domínio do Império Otomano por quase quatro séculos. Até o final da Primeira Guerra Mundial quando se tornou colônia do Reino Unido. O regime de monarquia durou de 1921 até 1958, quando, devido a um golpe de estado, a família real foi assassinada.

 

Guerra do GolfoO Partido Socialista Árabe Baath, em julho de 1968 chegou ao poder juntamente com o seu líder, Saddam Hussein que foi eleito presidente em 1979. Posição que ocupou durante vinte e quatro anos. Durante seu mandato, o Iraque se envolveu em três guerras no Golfo Pérsico.

 

De 1980 a 1988: a primeira guerra do Golfo, travada contra o Irã, ocorreu logo após a Revolução Islâmica sob a liderança do aiatolá Ruhollah Khomeini que derrubou a monarquia iraniana. Nesse conflito, Saddam Hussein contou com o apoio dos Estados Unidos. O país temia a influência das doutrinas islâmicas sobre o Oriente Médio.

 

Nesta época, os Estados Unidos ignoraram completamente o uso de armas biológicas e químicas pelo exército iraquiano, incluindo o terrível massacre de Curdos. Entretanto, anos mais tarde, o uso dessas mesmas armas, foi a razão dos Estados Unidos invadirem o país.

 

A queda do preço do petróleo

 

Quando a guerra estava para terminar, Irã e Iraque estavam praticamente arruinados. Este último ficou em piores condições, devido a queda do preço do petróleo em 80%. Vale destacar que o Iraque ocupa a décima posição de produtores e décimo primeiro de exportadores de petróleo do mundo.

 

Guerra do GolfoO país nesta época estava endividado e sem ter como pagar seus credores. Ao contrário de seu vizinho Kuwait, que ocupava a décima terceira posição como produtor e sexto em exportação. Explorava jazidas nas proximidades das fronteiras iraquianas. Foi por essa razão que a invasão do país teve razões territoriais e econômicas.

 

O Iraque incriminava o Kuwait de fazê-lo derrubar os preços do petróleo ao vender mais que a quota estipulada pela OPEP. Além disso, Saddam queria que o país perdoasse uma divida contraída devido à guerra com o Irã. Ainda cobrava uma indenização pela exploração ilegal dos campos petrolíferos do Iraque.

 

Outra razão para o início do conflito foi à questão das divisões fronteiriças. No final do Império Otomano, o Reino Unido demarcou as regiões dos países e o governo iraquiano alegou que, antes de ser uma colônia inglesa, o Kuwait pertencia a província de Basra, ao sul do país.

 

A Invasão

 

No dia 2 de Agosto de 1990 foi iniciada a segunda Guerra do Golfo com a invasão do Kuwait. O líder iraquiano, Saddam Hussein, não se importou com a reação dos demais países, incluindo os Estados Unidos que havia sido seu aliado contra o Irã.

 

Guerra do GolfoPara o líder iraquiano, tal invasão traria ao país um respiro para as finanças. Ainda poderia adquirir certo poder no mundo árabe. Para os americanos, aquele era o momento perfeito para ocupar o país e garantir o controle sobre o petróleo árabe.

 

A ONU acabou condenando a atitude de Saddam Hussein e impôs sanções econômicas. Neste mesmo momento, a Liga Árabe iniciou negociações diplomáticas para resolver o conflito. No entanto, as investidas não trouxeram resultado algum.

 

No dia 28 de agosto, o Iraque vinculou o Kuwait como sua 19ª província. No dia 29 de agosto a ONU deu um ultimato a Saddam; suas tropas deveriam se retirar do país até o dia 15 de Janeiro de 1991, caso contrário, haveria uma resposta militar.

 

750 mil x 200 mil

 

Para o cumprimento desse ultimato foi formada uma coalizão com 34 países, tendo como líder os Estados Unidos e demais países: França, Reino Unido, Arábia Saudita, Síria e Egito. Foi contabilizado um contingente de 750 mil soldados contra os 200 mil do Iraque na Guerra do Golfo.

 

Guerra do GolfoNo dia 17 de janeiro de 1991 ocorre o primeiro ataque a Bagdá, capital do Iraque. Entre os dias 25 e 28 foi iniciada a operação “Tempestade no Deserto” com as forças da ONU comandadas pelo americano, General Normal Schwarzkopf.

 

Em tempos de globalização, os bombardeios à capital do Iraque eram acompanhados pelo mundo inteiro. A Guerra do Golfo passou a ser chamada de guerra cirúrgica pela utilização de mísseis inteligentes que atingiam alvos militares e locais escolhidos para danificar a infraestrutura do país. No dia 3 de março os soldados iraquianos foram expulsos do Kuwait e, Bagdá aceitou o cessar-fogo.

 

As consequências

 

Uma onda de prejuízos deixou a cidade do Kuwait em frangalhos. Cerca de mil civis faleceram durante o conflito e mais de 300 mil deixaram o país. A família real que havia deixado o Kuwait retornou ao seu país ao término do conflito.

 

Os iraquianos ainda danificaram cerca de 730 poços de petróleo, causando danos ambientais na região do Golfo Pérsico. Para reparar toda destruição e prejuízos causados pelos iraquianos, o Kuwait levou dois anos.

 

Já no Iraque, que ficou em ruínas, foi contabilizada a quantidade de 3.664 civis mortos. Para complicar ainda mais a situação do país, foi imposto durante os anos 90 sanções financeiras e comerciais para que o governo se desfizesse de sua indústria bélica e que pagasse indenizações de guerra, o que complicou ainda mais para a reconstrução do país.

 

Invasão ao Iraque

 

No dia 20 de Março de 2003, os americanos invadiram o Iraque apoiados pelo Reino Unido. Na época estava no poder George W. Bush (filho) que acusou Hussein por ter algum envolvimento com o atentado de 11 de setembro as Torres Gêmeas. Acusou de possuir armas de destruição em massa, fato nunca comprovado. Especialistas afirmam que os americanos estavam de olho nos poços de petróleo.

 

Guerra do GolfoSaddam Hussein foi deposto de seu cargo, capturado em 2003 e condenado à morte em dezembro de 2006 por enforcamento. Para os americanos, foi uma das mais longas, caras e mortíferas guerras da história, perdendo apenas para o conflito do Vietnã.

 

A guerra do Iraque custou para os cofres americanos cerca de 736 bilhões de dólares, contra os 286 bilhões gastos no Afeganistão. Deixou um saldo de 4.731 soldados mortos.

 

As mortes de cidadãos americanos nos atentados terroristas em Bagdá e os problemas decorrentes dos abusos cometidos por causa dos presos iraquianos na prisão de Abu Ghraib tiveram repercussão interna tão grande que foi capaz de manchar a imagem da Casa Branca.

 

Barack Obama, ao assumir o poder, prometeu que retiraria a maior parte dos soldados até o dia 31 de agosto de 2010. Segundo estimativas, no período, havia aproximadamente 85 mil soldados no Iraque. Uma grande parte foi removida no prazo estipulado e a outra acabou sendo levada ao país de origem gradualmente até 2011. Depois disso, o Iraque conquistou novamente sua independência.

Notícias Relacionadas

Gostaríamos de saber a sua opinião. Comente!