Home Antropogênicos A catástrofe de Chernobyl – Cobertura completa do episódio que aterrou o mundo!

A catástrofe de Chernobyl – Cobertura completa do episódio que aterrou o mundo!

por Redação Momento Critico 30/01/2018

Você já ouviu falar na catástrofe de Chernobyl?

Ainda hoje, o evento é conhecido como o maior acidente nuclear de toda a história. Há muitos equívocos sobre a tragédia que assolou os anos 80 e o mundo. Que tal saber o que realmente aconteceu em Chernobyl?

Fique por dentro dos detalhes nessa cobertura completa do episódio que aterrou o mundo inteiro tamanha a sua devastação!

Boa leitura!

A Catástrofe de Chernobyl - Cobertura completa do episódio que aterrou o mundo!

Um pouco da história de Chernobyl…

O que foi o acidente de Chernobyl?

O acidente de Chernobyl ocorreu na década de 80 e é ainda hoje considerado o maior acidente nuclear da história humana.

 Esta foi a primeira e, até então, única catástrofe a atingir nível 7 na Escala Internacional de Eventos Nucleares, o que significa que o acidente de Chernobyl é o maior acidente provocado pelo homem em toda a história conhecida.

A explosão ocorrida na usina nuclear de Chernobyl gerou o maior incêndio já visto. Este incêndio durou 10 dias e lançou imensas quantidades de material radioativo na região. A quantidade de material radioativo propagado foi tão extensa que atingiu áreas extremamente abrangentes da Europa.

As áreas mais afetadas foram:

  • Ucrânia
  • Bielorrússia
  • Rússia

Só para você ter ideia da extensão do problema em que a região se meteu.

A quantidade de material radioativo liberado na explosão de Chernobyl foi pelo menos 100 vezes maior do que o material liberado nas explosões em Hiroshima e Nagasaki, na Segunda Guerra Mundial.

Você não leu errado. Cem vezes maior que todo o material radioativo liberado durante as explosões de Hiroshima e Nagasaki! Já imaginou a potência dessa explosão?

A Bielorrússia, país europeu vítima do episódio que devastou o mundo, teve 70% de seu território contaminado devido a catástrofe de Chernobyl.

É como se 4 estados do tamanho do Rio de Janeiro fossem totalmente contaminados pelo poder radioativo do acidente nuclear mais famoso da história!

 

A Catástrofe de Chernobyl - Cobertura completa do episódio que aterrou o mundo!

Mas, afinal de contas, como aconteceu a catástrofe de Chernobyl?

Os operadores da usina nuclear da cidade de Chernobyl, localizada na Ucrânia, realizaram um experimento com um de seus reatores: o reator 4. Inicialmente, a intenção do experimento era puramente teórica. Observar o comportamento do reator nuclear. Os operários estavam curiosos para verificar o que ocorreria se utilizado com baixos níveis de energia.

O acidente de Chernobyl aconteceu no ano de 1986, há 32 anos. Mais de 3 décadas se passaram e o acidente continua gerando consequências para o mundo.

Para que o estimado teste fosse possível, os responsáveis pela usina nuclear teriam que quebrar o cumprimento de uma série de regras fundamentais para segurança e para o bom funcionamento da usina.

Entre outros erros bastante sérios cometidos naquele dia histórico. Os funcionários envolvidos na catástrofe de Chernobyl interromperam a circulação do sistema hidráulico responsável por controlar a temperatura dos reatores.

Com isso, mesmo operando com capacidade inferior à comum, o reator 4 entrou em processo de superaquecimento. Após ser iniciado, este processo foi incapaz de ser revertido. 

O maior acidente nuclear da história, a conhecida catástrofe de Chernobyl, ocorreu devido à curiosidade da equipe de trabalho do local

Em poucos instantes, a formação de uma imensa bola de fogo anunciava a explosão do reator rico em Urânio-235, elemento químico de grande poder radioativo.

Estima-se que a explosão tenha lançado ao menos 70 toneladas de urânio e 900 toneladas de grafite na atmosfera. Materiais radioativos que se espalharam e contaminaram extensas áreas da Terra.

As 70 toneladas de urânio equivalem ao peso de 35 elefantes adultos. As 900 toneladas de grafite correspondem ao peso de 25 ônibus com capacidade para 160 passageiros sentados.

É como pegar 35 elefantes adultos + 25 ônibus lotados e substituir todo o seu peso por materiais altamente radioativos. Depois disso, é como jogar essa nuvem de risco e de morte na atmosfera!

Durante o evento que devastou o mundo, sinais de radioatividade no ar foram detectados em regiões distantes de Chernobyl, como Suécia e Finlândia.

A fumaça que se espalhou lançou uma grande quantidade de Césio-135, um elemento químico extremamente radioativo.

Após o acidente de Chernobyl, o governo Soviético conseguiu manter o sigilo, ainda que apenas por algumas horas. A população não estava ciente que passava pelo maior acidente nuclear da história. Isso fez com que milhares de pessoas ficassem expostas a radiação por até quatro horas.

Os efeitos da decisão do governo de manter sigilo são sentidos por parte da população até hoje

A primeira cidade a detectar o nível de radioatividade do ar e a começar a evacuação completa de sua população localiza-se à cerca de três quilômetros da usina. Alguns países vizinhos também perceberam a radiação e solicitaram que suas famílias se retirassem o mais rápido possível.

Foi impossível para o governo manter sigilo sobre o ocorrido depois de toda esta movimentação.

Estima-se que foram evacuadas mais de 200 mil pessoas em toda a área atingida. Desse total, em torno de 45 mil eram moradores de Chernobyl. A cidade de Chernobyl ficou completamente vazia, fato que se mantém até os dias atuais. É como deixar uma cidade de porte grande da região metropolitana de Porto Alegre (RS) totalmente desabitada!

Finalmente, a usina foi fechada e foi construída uma espécie de sarcófago com o objetivo de isolamento.

Ainda hoje são sentidos os efeitos da radiação pelos descendentes dos atingidos

Quais as consequências à população?

Para conter a situação, cerca de 800 mil pessoas se arriscaram, expondo-se à radiação. Dessas pessoas, 70 mil tiveram sequelas graves, a maioria carregadas até a morte, e 25 mil morreram. Especialistas relatam que a causa de 20% desses óbitos foi o suicídio. 

A taxa de suicídio acarretada pela catástrofe de Chernobyl foi superior às estimativas de morte por suicídio associados aos transtornos mentais mais sérios até então conhecidos.

O Greenpeace afirma que o acidente de Chernobyl provocou morte por câncer em quase 100 mil pessoas em todo o território terrestre. É como ver uma cidade pequena inteira ir à morte pela mesma causa.

As gestantes vítimas do episódio foram orientadas a realizarem abortos de forma imediata, para que seus filhos não corressem o risco de nascer com graves problemas advindos de má formação.

Hoje sabe-se que os efeitos do acidente de Chernobyl não teriam força para impactar na formação embrionária de um feto. Foram centenas de abortos realizados desnecessariamente. 

E Chernobyl hoje?

A região em torno da usina foi inteiramente evacuada devido ao acidente de Chernobyl. Além disso, a chamada “zona de exclusão”, que se estende por um raio médio de 30 km, é patrulhada ainda hoje por policiais armados com fuzis AK-47. O objetivo dessas patrulhas é garantir que o local não será invadido por curiosos.

A Catástrofe de Chernobyl - Cobertura completa do episódio que aterrou o mundo!

Diversos especialistas acreditam que a região vai levar 100 anos ou mais para poder ser considerada minimamente livre da poluição radioativa.

Estudiosos relatam que 97% de todo o material radioativo propagado no acidente de Chernobyl continua no local. Isso equivale à 200 toneladas de risco. É como substituir o peso de 5 boeings 737 por material radioativo!

Estima-se que há mais de 5 milhões de pessoas hoje vivendo em locais considerados ainda contaminados pelo maior acidente nuclear já conhecido. Isso equivale a 5 vezes a população porto alegrense.

Após o episódio, a floresta existente na cidade mudou de cor. Do verde a floresta passou para o avermelhado. O acidente teve impacto sobre o fenótipo da natureza da região!

Com a ausência de seres humanos, a floresta vizinha invadiu de forma gradativa as ruas e o meio urbano. Diversas imagens atuais da cidade de Chernobyl assemelham-se a cidades e territórios normalmente associados ao fim do mundo nas produções hollywoodianas.

Os únicos moradores da região são os animais selvagens, cujo número cresceu drasticamente nas últimas décadas. Alguns biólogos relatam acerca do retorno (ou ressurgimento) de espécies que eram consistentemente consideradas já extintas.

 O que achou do conteúdo? Já imaginou ser responsável pela maior tragédia humana devido à sua curiosidade?

Veja também: Existe uma tempestade com origem fora do planeta que pode provocar muita destruição.

Marque seus amigos e deixe um comentário com a sua opinião!

Notícias Relacionadas

Gostaríamos de saber a sua opinião. Comente!