Home Ufologia ET de Varginha, a história mal contada!

ET de Varginha, a história mal contada!

por Redação Momento Critico 28/01/2018

A história por trás do ET de Varginha teve início na tarde do dia 20 de janeiro de 1996. Na época, três garotas da pequena cidade mineira viram uma criatura estranha. Em entrevista para o “The Wall Street Journal”, as meninas disseram que. “Não era homem nem animal, era algo diferente”.  Assustadas e muito jovens, as garotas afirmaram que haviam visto uma criatura (ou demônio, como elas disseram) com três chifres e olhos vermelhos.

ET de Varginha

Os Fatos

O Corpo de Bombeiros da cidade de Varginha foi chamado para realizar a captura da criatura desconhecida. A partir daí tinha início um dos mais conhecidos e controversos casos de aparição de ETs de que se tem notícia. Logo de início e depois que o assunto começou a se espalhar, o próprio quartel de bombeiros da cidade informou que nenhuma guarnição havia sido acionada para a captura do ser estranho.

O Capitão Alvarenga, do Corpo de Bombeiros, chegou a dar entrevista para o Fantástico (Rede Globo) afirmando que não havia registros de qualquer atividade anormal na região. Curiosamente, após falar na televisão, o capitão foi punido pela entrevista.

Outros depoimentos, inclusive o de supostos militares, circularam na época confirmando as características apontadas pelas garotas. Como disse o ufólogo Marco Antonio Petit, um dos mais respeitados da área. Segundo ele, suas investigações apontaram que uma nave alienígena havia caído na região de Varginha. Os tripulantes haviam sido capturados pelos militares.

Essa versão ganhou ainda mais força devido ao fato de que realmente no período do aparecimento do extraterrestre, militares das Forças Armadas fizeram movimentações incomuns na cidade. A criatura vista pelas meninas teria sido mesmo capturada pelos bombeiros.

Segunda Criatura

Entre os militares envolvidos no caso do ET de Varginha estava o policial militar Marco Chereze. Matérias jornalísticas da época relataram que, durante uma ronda, o PM avistou uma segunda criatura e a capturou. Neste caso, ele teve contato direto com o alienígena. Para lançar ainda mais dúvidas e caos sobre a situação, no dia seguinte após a suposta captura de um segundo ET, Chereze foi hospitalizado. Morreu cerca de 30 dias após o ocorrido.

O laudo final do Instituto Médico Legal apontou. O PM havia morrido em decorrência de uma pneumonia que teria pego durante a chuva da noite em que fazia ronda. Entretanto, algo muito incomum aconteceu. Relatos afirmam que o caixão do PM foi fechado hermeticamente. Ou seja, algo muito fora do padrão quando mortes desse tipo ocorrem.

Forças Armadas

Diversos relatos relacionados ao caso do ET de Varginha destacaram uma movimentação estranha de soldados e caminhões do Exército na zona rural da cidade na manhã em que a aparição teria sido vista. Como disse um oficial da reserva para ufólogos. “O exército estava na região em busca de uma criatura até então, desconhecida”.

Uma observação fundamental que lançou ainda mais estranheza sobre as ações dos militares e do governo foi o seguinte fato. Por tratar-se de um animal, o padrão seria que, veterinários fossem chamados para auxiliar na situação. Coisa que não ocorreu em nenhum momento neste caso.

Ufólogos afirmam que os militares capturaram duas criaturas no dia do ocorrido. Elas teriam sido levadas para hospitais da cidade onde equipamentos de intervenção em humanos já estavam disponíveis. Além disso, determinadas áreas dos hospitais para onde as criaturas teriam sido levadas foram isoladas.

O que dizem as Forças Armadas?

Oficiais e médicos da Escola de Sargento das Armas, sediada em Três Corações, cidade vizinha a Varginha, afirmaram que não tiveram nenhum tipo de envolvimento no caso. Porém, as explicações que deram para a presença do exército na cidade de Varginha não convenceram muita gente.

Em 2016 diversas publicações foram feitas em referência aos 20 anos do aparecimento do extraterrestre. Boa parte delas relembrou as justificativas dadas na época pelos militares e governo. Havia até mesmo a explicação de que o exército tinha se deslocado para a cidade vizinha (Varginha) para ajudar no parto de uma mulher. Outra sugere que as forças armadas tiveram que acompanhar a exumação de um corpo que, claro, não tinha nenhuma relação com o ET.

Boa parte da população brasileira encara o ocorrido como piada. Porém, fora do País, o ET de Varginha foi amplamente estudado. Até hoje, ufólogos tentam dissecar o que realmente aconteceu. Em 2015, o livro “Varginha: Toda a Verdade Revelada” foi publicado pelo ufólogo Marco Antonio Petit. Segundo o escritor, no início das ocorrências, ufólogos até foram chamados para acompanhar a situação. Mas depois, uma série de práticas e proibições foi instaurada. Petit afirma que militares chegaram a ser presos por supostamente estarem ajudando os ufólogos em suas investigações.

Forças Armadas já sabiam de tudo!

Em 2017 um documento do Ministério da Aeronáutica apontou. A cidade de Varginha ou Terra do ET, como ficou conhecida, pode ter sido foco de visitas alienígenas desde no ano de 1971. Segundo o documento, há registros dessa época de moradores que relataram a visita de um óvni. O dia exato da aparição não foi informado. Mas o objeto seria prateado e oval.

ET de Varginha

Caso fechado!

O inquérito sobre o ET de Varginha com mais de 200 páginas foi apresentado em 2010, sendo que já havia sido concluído desde 2007. Segundo o documento, o que as meninas teriam visto, seria apenas um doente mental que tinha o hábito de ficar no local onde as garotas apontaram a aparição. A confusão teria se dado devido à chuva forte e a lama que cobria o doente.

Finalizando sobre a presença militar, o documento diz que o Exército foi para a cidade para socorrer um casal de anões que estava em perigo durante o temporal. Anos se passaram e cada explicação que surge é tão curiosa (e inacreditável) que, de fato, nos faz pensar que realmente há algo sendo escondido.

O que achou do conteúdo? Deixe um comentário com sua opinião e marque seus amigos. Eles vão querer ler isso também!

Notícias Relacionadas

Gostaríamos de saber a sua opinião. Comente!