Home Meteoritos National Near-Earth Object Preparedness Strategy – Estratégia Nacional de Preparação para Objetos Próximos da Terra: O que é e como funciona

National Near-Earth Object Preparedness Strategy – Estratégia Nacional de Preparação para Objetos Próximos da Terra: O que é e como funciona

por Redação Momento Critico 06/08/2018

National Near-Earth Object Preparedness Strategy, também conhecido como Estratégia Nacional de Preparação para National Near-Earth ObjectObjetos Próximos da Terra, é um relatório que pretende otimizar a segurança global sobre possíveis riscos no caso de colisão com corpos celestes e demais nocividades do espaço.

O documento possui 19 páginas, foi construído de forma conjunta com especialistas reconhecidos em todo o mundo e foi divulgado em janeiro de 2017.

De acordo com especialistas responsáveis pela escrita do National Near-Earth Object Preparednesss Strategy, é improvável que o planeta entre em colisão com algum corpo celeste de grandes proporções pelos próximos dois séculos.

Entretanto, é altamente possível que a Terra passe por impacto com asteroides menores, porém, com força e velocidade para gerar efeitos catastróficos, como a extinção de fauna e flora, dizimação de países inteiros ou a morte de milhões de pessoas.

O Congresso americano determinou há duas décadas que a NASA identifique 90% dos objetos e corpos celestes com mais de 140 metros de diâmetro que gerem algum risco de colisão com planeta. Porém, depois de 20 anos de pesquisa, estima-se que apenas 31% dos asteroides foram identificados até o fim de 2017.

A NASA calcula que o impacto dos corpos celestes já identificados teriam poder mínimo de 60 megatons de TNT, poder inimaginável pelos cientistas do projeto. De acordo com a estimativa dos pesquisadores, seu poder é mais devastador que as mais potentes armas nucleares já testadas.

 

Especialistas envolvidos no National Near-Earth Object Preparedness Strategy

 

A Estratégia Nacional de Preparação para Objetos Próximos da Terra possui 19 páginas e está disponível integralmente no site da NASA.

Para que o documento pudesse ser redigido, foi criado um grupo de trabalho chamado DAMIEN – sigla para Detecção e Atenuação do Impacto de Objetos Próximos à Terra.

DAMIEN é um grupo que conta com especialistas de diversas agências do mundo, sendo considerado por muitos “o grupo de trabalho com mais peso do mundo”.

National Near-Earth Object Preparednesss Strategy foi apresentado ao mundo no dia 3 de janeiro de 2017.

National Near-Earth Object

National Near-Earth Object Preparedness Strategy: o documento

 

National Near-Earth Object Preparedness Strategy é um relatório que apresenta diversos objetivos que, se seguidos adequadamente, minimizarão em muitas vezes os riscos de colisões do planeta com asteroides e corpos celestes de médio e grande porte.

Dentre os objetivos apresentados pelo documento, destaca-se o aprimoramento na habilidade de detecção de NEO – objetos espaciais próximos à Terra – e maior monitoramento da órbita destes corpos.

A Estratégia Nacional de Preparação para Objetos Próximos da Terra aponta para a necessidade de mais pesquisas com o objetivo de criação de estratégias para desvio de asteroides.

No caso real de colisão com NEO, National Near-Earth Object Preparednesss Strategy apresenta procedimentos de emergência coerentes com o cenário do impacto, sendo separados em três categorias:

– Impacto no oceano

– Impacto em região costeira

– Impacto em terra firme

National Near-Earth Object Preparednesss Strategy apresenta sete metas. São elas:

  • Aprimorar o rastreamento e classificação de NEOs
  • Criar estratégias para mover ou destruir objetos ameaçadores
  • Melhorar os modelos de previsão
  • Plano de emergência para casos em que o NEO não possa ser desviado ou destruído
  • Criação de sistema de alerta e estratégia de recuperação
  • Criar protocolos para definir decisões rápidas em momentos de crise
  • Incluir outros países no planejamento

 

A Estratégia Nacional de Preparação para Objetos Próximos da Terra destaca a necessidade de trabalho em conjunto a nível internacional. É fundamental que as nações entendam que esta não é uma luta estadunidense, mas global. O documento salienta que os protocolos devem ser pensados e seguidos não apenas pelos EUA, mas por todos os países.

National Near-Earth Object

O que o DAMIEN e o National Near-Earth Object Preparedness Strategy representam para o mundo

 

De acordo com Lindley Johnson, oficial de defesa planetária da NASA e co-presidente do projeto DAMIEN, o grupo de trabalho DAMIEN caracteriza-se como um importante avanço na prevenção de ameaças de NEOs.

Johnson afirma que o mundo possuir o National Near-Earth Object Preparedness Strategy aprovado é um “enorme primeiro passo” e que o plano de ações específicas será determinado em futuro próximo.

Desafios

 

Ray Williamson, membro da Universidade Espacial Internacional (França), saúda National Near-Earth Object Preparedness Strategy e a Casa Branca. O ex-astrônomo afirma que o relatório diz “todas as coisas certas e pede pelas abordagens corretas” para minimizar ao máximo os perigos de colisão com corpo celeste.

National Near-Earth ObjectWilliamson acredita que um dos maiores desafios será motivar as agências federais das outras nações a seguirem os procedimentos idealizados pelo National Near-Earth Object Preparednesss Strategy.

O estudioso ressalta que as agências e governos costumam sentir que mal possuem recursos financeiros para suprir ações primárias, como educação, saúde e segurança. Nesse sentido, Ray teme que os governos podem hesitar em desprender recursos para fortalecimento deste projeto.

Assim como Williamson, este é um desafio considerado pelos membros da equipe DAMIEN, da NASA. Os especialistas da agência norte-americana que encabeçou o projeto sentem-se encorajados e motivados pelo documento. Todavia, entendem que as estratégias precisarão, em algum momento, de investimento suficiente para sair do papel.

Um ano depois da apresentação do National Near-Earth Object Preparednesss Strategy, segue indefinido quando e como os EUA conseguirão transformar as metas em ações.

NASA anuncia que as providências dependem do financiamento que será destinado ao projeto pelo presidente atual, Donald Trump.

 

Concluindo…

Apesar da falta de previsão para tirar as metas do papel, as mesmas possuem caráter de urgência.

Dados do Departamento de Defesa dos EUA, da NASA, estimam que há cerca de 10 milhões de NEOs com órbita próxima ao planeta que ainda não foram rastreados pela agência e que representam perigo à Terra.

 

O que achou do conteúdo?

Será que a NASA conseguirá convencer Donald Trump que investimentos no projeto National Near-Earth Object Preparednesss Strategy são mais interessantes que construir bombas nucleares para aterrar a Correa do Norte?

E o restante do mundo? Será que comprarão esta luta em prol da sobrevivência do planeta juntamente com o governo norte-americano?

O que você pensa sobre o assunto?

Deixe um comentário e marque seus amigos!

Notícias Relacionadas

Gostaríamos de saber a sua opinião. Comente!