Home Terremotos O maior tsunami de nosso tempo, o tsunami do Japão, 11 de março de 2011

O maior tsunami de nosso tempo, o tsunami do Japão, 11 de março de 2011

por Redação Momento Critico 28/01/2018

O tsunami do Japão

No fatídico dia 11 de março de 2011, por volta das 14:46h (02:46h – hora de Brasília) o Japão começou a viver um dos piores momentos de toda a sua história. O Tsunami do Japão ocasionado por um terremoto de 9 graus de magnitude na escala Richter atingiu o país. De acordo com informações divulgadas na ocasião, pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos, este foi o pior terremoto a atingir o país. Em escala mundial, foi o quarto.

O maior tsunami de nosso tempo, o tsunami do Japão, 11 de março de 2011

O epicentro do terremoto que originou o devastador tsunami do Japão em 2011 foi registrado no Oceano Pacífico em uma região situada a 160 quilômetros da costa e a cerca de 20 quilômetros de profundidade. Na sequência do primeiro evento de destruição, mais abalos sísmicos de menor intensidade também foram registrados nos dias seguintes.

As ondas do tsunami do Japão chegaram a 10 metros de altura.

Avançaram sobre a região nordeste do país por dezenas de quilômetros. Deixaram um rastro de destruição engolindo tudo que havia pela frente.

Um dos maiores do Século

Os números iniciais divulgados pela polícia já eram impressionantes. Algumas agências apontavam para até 1.000 mortes. Entretanto, conforme o tempo foi passando, a situação deixou o mundo todo perplexo. Mais de 19 mil pessoas perderam suas vidas com um dos maiores tsunamis deste século.

As ondas gigantes originárias do Pacífico viajaram em direção à costa do Japão a uma velocidade de 800 km/h. Após o terremoto e com os avanços das ondas destruidoras, as regiões atingidas estavam entregues a sua própria sorte. Não havia muito o que fazer. A telefonia fixa assim como os celulares sofreram problemas de funcionamento, sendo assim, não havia como obter informações de regiões atingidas ou alertar familiares que estivessem próximos a elas.

Para ter uma ideia de como a situação tornou-se um caos. Edifícios foram evacuados rapidamente ao som de sirenes. Veículos foram obrigados a parar nas estradas. Aeroportos fecharam, assim como metrôs. Em Chiba, uma refinaria de petróleo pegou fogo.

Um acidente nuclear ameaçador!

Uma das situações mais sensíveis e aterrorizantes que o governo teve que enfrentar foi o caso da usina nuclear de Fukushima, que também foi atingida pelo maior tsunami da história do Japão. Quando a água do mar chegou às rochas e diques ela se elevou cerca de 20 metros e avançou sobre quase todo o terreno da usina. A iminência de um desastre nuclear assombrou a população. A maior preocupação do governo foi com os edifícios onde estavam as turbinas. Eles foram os mais atingidos por estarem mais próximos do mar.

O maior tsunami de nosso tempo, o tsunami do Japão, 11 de março de 2011

O desespero foi quase incontrolável quando se descobriu que a água do tsunami havia inundando seis reatores e que a energia começou a ser interrompida. Sem energia, uma explosão nuclear estava ainda mais próxima uma vez que o sistema de refrigeração dos reatores não funcionava. A situação complicou mais quando se descobriu que os geradores de energia de emergência também foram inutilizados.

O governo japonês decidiu evacuar o entorno da usina estabelecendo um limite de 20 quilômetros de distância a partir dos reatores. Também colocou a usina naquilo que chamou de estado de emergência nuclear. Especialmente devido às falhas no sistema de resfriamento da unidade.

Ainda em Fukushima, casas foram arrastadas pelas águas de uma represa que não resistiu ao terremoto. As consequências do tremor e do tsunami do Japão sacrificaram sem piedade a cidade de Sendai onde era possível ver de longe prédios em chamas por todos os lados.

Maior tsunami do Japão impressionou cientistas!

Após os tristes eventos do dia 11 de março de 2011 pesquisadores iniciaram estudos sobre o que originou o terremoto e o maior tsunami da história do país. Cientistas descobriram que o deslocamento vertical na falha foi o maior já registrado, superando o deslocamento de 1960 ocorrido no Chile. Naquela ocasião, o sismo mais violento foi registrado no planeta: 9,5 graus de magnitude.

O maior tsunami de nosso tempo, o tsunami do Japão, 11 de março de 2011

No Japão, a ruptura ocorreu entre 20 e 30 quilômetros de profundidade e propagou-se rapidamente em todas as direções ao longo das placas. Quando a ruptura chegou até a superfície o fundo do mar foi deformado elevando-se 50 metros. As consequências destruidoras do evento seriam vistas no tsunami que acabara de se originar.

Cientistas do mundo todo observaram que essa elevação de 50 metros foi a maior vista em uma falha durante um único tremor.

Apesar de que no Japão os terremotos sejam algo comum, eles não deixam de ser assustadores. É comum colocarem várias regiões do país em estado de alerta. O país está localizado em uma região chamada de Anel de Fogo. É nela que acontecem cerca de 90% de todos os terremotos registrados no mundo.

Além deste, outro terrível tsunami a atingir o Japão foi em 1896. No dia 15 de junho às 19 horas um terremoto ocorreu no mar de Sanriku, região nordeste de Honshu. Meia hora depois, um tsunami com ondas de 30 metros chegou à costa. Neste evento, o terremoto em si não matou ninguém, mas o tsunami foi responsável por 27.000 mortes.

Existem situações em que é possível enfrentar a natureza. Com os tsunamis não há essa possibilidade já que, quase sempre não existe sequer chance para fuga.

O futuro!

Em 2018 o número de terremotos pode ser recorde. Temos que ficar atentos para novos tsunamis como o tsunami do Japão.

O que achou do conteúdo? Deixe um comentário com sua opinião e marque seus amigos. Eles vão querer ler isso também!

Notícias Relacionadas

Gostaríamos de saber a sua opinião. Comente!