Home Ufologia Operação Prato: A maior investigação extraterrestre do mundo! – Guia completo

Operação Prato: A maior investigação extraterrestre do mundo! – Guia completo

por Redação Momento Critico 06/02/2018

Operação Prato é o codinome dado à operação militar desenvolvida pela Força Aérea Brasileira (FAB). O maior objetivo desta operação foi investigar o aparecimento de supostos discos voadores, denominados como Objetos Voadores Não Identificados – OVNIs.

Fenômenos investigados pela Operação Prato foram noticiados pela imprensa brasileira e mundial. Há centenas de vítimas e testemunhas que relatam observação de discos voadores e contato com extraterrestres.

Supostamente, a Operação Prato foi encerrada em dezembro de 1977. Todavia, há diversos indícios de que a mesma continua investigando o surgimento de OVNIs e de alienígenas, apesar de não haver confirmação da força militar.

Quer ficar por dentro de tudo que envolve esta investigação? Então este artigo foi feito para você!

Separamos as informações mais relevantes sobre a Operação Prato para você ter acesso a tudo que precisa saber num único lugar!

Boa leitura!

Operação Prato

Operação Prato: A maior investigação extraterrestre do mundo! – Guia completo

 

Por que a Operação Prato foi necessária?

 

Na década de 1970 houve uma onda gigante de relatos sobre a observação de OVNIs no estado do Pará, mais especificamente entre a Baixada Maranhense e a divisa do estado, na região do Rio Gurupi e da cidade Viseu. O estado paraense  sofreu com fenômenos misteriosos que colocaram todos os moradores da região em estado de alerta constante.

O rádio, a televisão, os jornais e diversos outros meios de comunicação fizeram coberturas completas nesse período. O foco das coberturas foi o contato com testemunhas que alegam ter visto discos voadores, também conhecidos como OVNIs, e até mesmo extraterrestres.

A imprensa da época divulgou diversos encontros traumáticos entre a população ribeirinha local e os alienígenas.

Moradores e autoridades do local afirmam que os supostos discos voadores tinham formato de bolas de luz, semelhantes à bolas de futebol americano. Os OVNIs foram apelidados pelos ribeirinhos de “chupa-chupa”. Foram relatados diversos ataques à população por parte dos “chupa-chupas”.

Os OVNIs atacavam a população usando raios luminosos. Estes ataques causavam queimaduras e marcas de agulhadas nas vítimas. O sangue das vítimas era abduzido nesses encontros. Os casos mais graves levaram as vítimas à óbito.

 

Algumas pessoas atacadas chegavam aos atendimentos médicos com sintomas clínicos alarmantes, como:

  • Anemia
  • Tontura
  • Paralisia
  • Tremores

Os moradores da região entraram em estado de pavor total e passaram a se reunir de forma recorrente buscando afastar os possíveis invasores.

Antes do início oficial da Operação Prato, os habitantes da região não pensaram que poderia se tratar de OVNIs, discos voadores, extraterrestres ou quaisquer outros fenômenos ufológicos. Os moradores afirmaram tratar-se de obra do demônio ou de castigo divino.

As famílias da região começaram a acender fogueiras, soltar fogos de artifício e fazer todo tipo de barulho durante as noites, com o objetivo de manter as ameaças alienígenas longe. Os habitantes mais religiosos passaram a rezar o terço todas as noites. Relata-se que algumas famílias passavam noites em claro na companhia de paus, espingardas e quaisquer objetos que pudessem ser utilizados para se defender.

Considerando o nível da situação, o então prefeito solicitou auxílio das Forças Armadas. E foi assim que a Operação Prato foi, finalmente, iniciada.

Operação Prato

O que foi a Operação Prato?

A Operação Prato foi a maior investigação ufológica de que se tem notícia no mundo. O trabalho militar ocorreu durante o ano de 1977 e foi supostamente encerrado no mês de dezembro. Porém há indícios de que a missão esteja sendo realizada secretamente pelas forças armadas até hoje.

Há indicativos que militares norte-americanos estão no comando atualmente

Os mais importantes registros da época são documentos oficiais liberados pela FAB, jornais e entrevistas da época e documentos militares misteriosamente vazados.

Operação Prato

A Operação Prato foi amplamente discutida nos mais variados meios de comunicação, televisivos e impressos. Ainda hoje este é um assunto debatido entre diversos grupos, inclusive em salas de aula de todo o Brasil.

A Aeronáutica conta com um arsenal de informações sobre a operação de investigação alienígena mais importante da história. São um total de:

  • Mais de 500 fotografias que contemplam OVNIs, extraterrestres e sondas ufológicas
  • Cerca de 16 horas de vídeos gravados onde aparecem claramente discos voadores
  • Centenas de depoimentos de testemunhas e vítimas
  • Mais de 2 mil páginas de material impresso sobre os fenômenos ufológicos

 

Há ufólogos que alegam a existência de volume tenebroso de documentos ainda guardados em segredo pela FAB, apesar desta negar a existência de qualquer material ainda não divulgado.

Jornalista que fez cobertura da investigação, Carlos Mendes, diz que não esquecerá o pânico estampado no rosto daqueles que afirmam ter sofrido algum ataque dos OVNIs ou ter tido qualquer contato com as criaturas extraterrestres. O jornalista entrevistou cerca de 80 testemunhas.

Pedro Ernesto Póvoa, psiquiatra responsável pela Operação Prato, diagnosticou o caso como Histeria Coletiva, após escuta das testemunhas e supostas vítimas

 

Durante a investigação o Capitão Hollanda, responsável pela Operação Prato, afirma ter avistado OVNI enorme, com cerca de 100 metros de comprimento. O disco voador batia com a descrição feita pelas centenas de testemunhas entrevistadas.

A extensão do disco voador avistado é 2 vezes maior que uma piscina olímpica!

 

Após tomar conhecimento desse relato, o brigadeiro Protásio, chefe máximo da operação, não compartilhou do entusiasmo do Capitão Hollanda. Protásio suspendeu a Operação Prato imediatamente após a escuta do acontecido.

Essa decisão intriga até hoje a comunidade de ufólogos.

Houve um total de centenas de casos e, ao menos, quatro óbitos documentados advindos do contato com alienígenas e discos voadores.

 

Conclusões da Operação Prato

Os fenômenos ufológicos investigados pela Operação Prato são de origem extraterrestre e as vítimas passaram por experiência de contato com alienígenas, de acordo com a comunidade brasileira ufológica. Um número extremamente restrito de pesquisadores defendem qualquer outra teoria.

Alguns militares e civis que participaram da Operação Prato manifestam opinião contrária, acreditando em teorias alternativas que não envolvem o contato com OVNIs e extraterrestres.

Responsável pela Operação Prato

Capitão Hollanda cometeu suicídio dois meses depois de conceder entrevista sobre sua experiência na Operação Prato.

Existem teorias de que o capitão teria sido assassinado como queima de arquivo, por revelar importantes informações e colocar a segurança nacional em risco.

Uma segunda teoria crê que Hollanda não teria perdido a vida, mas mudado de identidade e saído do Brasil.

De qualquer forma, Hollanda era o último participante vivo da Operação Prato.

 

E hoje?

A Operação Prato foi a maior investigação ufológica da história humana

Operação Prato

Não há conhecimento de outra operação deste porte envolvendo a temática de discos voadores, alienígenas e extraterrestres. Nenhuma outra investigação conhecida obteve tantos documentos oficiais, vítimas, testemunhas e o mais importante: resultados concretos.

Edison Boaventura Júnior, presidente do Grupo Ufológico do Guarujá (GUG) afirma que a Operação Prato colocou o mundo diante de um dos maiores enigmas extraterrestres já conhecidos. O pesquisador relata que os avistamentos não acabaram. Edison diz lamentar a cegueira daqueles que não querem ver o óbvio, ainda quando este está bem na sua frente.

 

E você, já viu um disco voador por aí?

O que achou do conteúdo? Deixe seu comentário e marque seus amigos: eles precisam ler isso também!

Você pode gostar também: Uma frota de óvnis visitou o Brasil, confirmado pela Força Aérea.

Ou: ET de Varginha, a história mal contada!

Notícias Relacionadas

Gostaríamos de saber a sua opinião. Comente!