Home Vulcões A erupção de um supervulcão pode destruir um país inteiro ainda este século

A erupção de um supervulcão pode destruir um país inteiro ainda este século

por Redação Momento Critico 25/01/2018

Você sabe o que é um supervulcão? Você sabia que existem ao menos 4 supervulcões ao redor do mundo? E você sabia que a erupção de qualquer um deles tem potência para destruir o território de todo um continente?

Os denominados supervulcões recebem este nome devido à sua potência e ao risco que sua possível erupção traz para o planeta.

Para um vulcão ser categorizado como super os danos de sua possível erupção devem ter potência para destruição em massa. Isso significa que a erupção de um supervulcão é capaz de destroçar milhões de quilômetros quadrados. Extinguir espécies inteiras de fauna e flora.

Um supervulcão possui força de erupção igual ou superior à 100 vezes a potência máxima de um vulcão normal. De acordo com Michio Kaku, maior especialista em vulcanologia do mundo.

Neste artigo você conhecerá os 4 mais importantes supervulcões do mundo. Ficará a par desse risco que assombra nossos dias!

Boa leitura!

A erupção de um supervulcão pode destruir um país inteiro ainda este século

Supervulcão pode destruir um país inteiro ainda este século

Há 4 supervulcões ao redor do mundo que precisam urgentemente da nossa atenção, de acordo com Michio Kaku. O primeiro, e talvez mais conhecido deles, é o  de Yellowstone, nos Estados Unidos. Além deste, é necessário que também fiquemos atentos para:

– Supervulcão de Caldeira de Valles, no México

– Supervulcão do Lago Taupo, na Nova Zelândia

– Supervulcão de Caldeira do Ngorongoro, na Tanzânia

Qual o risco?

A diferença primordial entre um vulcão normal e um super está no porte de sua destruição.

Enquanto erupções de vulcões normais acabam com cidades inteiras. A erupção de um único supervulcão no mundo pode destruir mais de 10 milhões de quilômetros quadrados. Isso equivale ao território dos Estados Unidos inteiro ou a todo o continente europeu!

A erupção de um Supervulcão é capaz de destroçar, em média, 2% de toda a superfície terrestre e 7% de toda a área acima do nível do mar no mundo!

Michio Kaku alerta para a possibilidade das atividades do Supervulcão de Yellowstone, nos Estados Unidos, estar crescendo perigosamente. O especialista afirma que o supervulcão americano está se encaminhando para nova erupção. Ela pode ocorrer ainda este século!

10% de probabilidade que um deles entre em erupção dentro dos próximos 100 anos, de acordo com entrevista de Michio Kaku dada à Fox News.

O estudioso explica que as erupções de vulcões são categorizadas de acordo com sua força e potência de destruição. O nível 1 é dado para as erupções mais leves e o nível 8 é a categoria mais perigosa.

Uma erupção nível 8 é capaz de destruir tudo que conhecemos e reconhecemos hoje como “Planeta Terra”

A erupção de um supervulcão pode destruir um país inteiro ainda este século

Michio Kaku relata que, caso passemos pela erupção de um deles dentro dos próximos 100 anos, é possível que a sua destruição atinja o nível 7 na categoria mundial de destruição por erupção de vulcões.

A erupção do Supervulcão de Yellowstone pode durar de algumas semanas até longos meses.

Os seus efeitos certamente teriam consequências drásticas para todo o planeta. Este evento levaria milhões de pessoas à morte e acabaria com centenas de espécies de plantas e animais de uma única vez. Estima-se que seriam necessárias algumas décadas para o planeta se recuperar de um evento desse porte. Além de destruir todo o território americano, o de Yellowstone tem capacidade de destroçar boa parte do continente norte americano.

Para agravar ainda mais a situação, o especialista admite que a quantidade de lava que há no supervulcão é duas vezes e meia maior que a quantidade inicialmente estimada pelos cientistas.

Mas, calma!

Após divulgação destas informações, houve um episódio de terror generalizado nos Estados Unidos.

Michio Kaku, todavia, pediu calma às pessoas. O cientista relata que não há motivos para esperar que a erupção ocorra ainda na primeira metade do século, durante nosso tempo de vida.

Supervulcão no Brasil

Estudo publicado há cerca de 30 anos revelou que o principal responsável pela separação do território brasileiro do atual continente africano foi a erupção de um supervulcão.

De acordo com o estudo, esta erupção foi a responsável pela separação entre o Brasil e o continente africano há cerca de 135 milhões de anos. Naquele período, ambos os territórios faziam parte do conhecido historicamente “supercontinente Gondwana”.

Estima-se que todo o solo da região de Ribeirão Preto (SP) tenha sofrido influência pelo derramamento do magma.

Marcelo Assumpção, co-autor do trabalho e funcionário do Instituto Astronômico e Geofísico da Universidade de São Paulo (IAG), afirma que. “Uma parte dele permanece inerte abaixo das cidades de Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, interior de São Paulo.”

O pesquisador estima que o pedaço do supervulcão encravado abaixo do estado de São Paulo conte com 200km de largura e 400 km de profundidade, em média.

O volume deste “pedaço” é duas vezes maior que o território do estado do Rio de Janeiro!

Apesar do susto da descoberta, Assumpção assegura que atualmente a presença desta coluna vulcânica não causa nenhuma alteração no solo da região. Além disso, o cientista afirma que não há motivos para desconfiarmos da reativação de suas atividades. Parece que os brasileiros estão com sorte, ao menos por enquanto!

Veja também: Campos Flégreos – Após 500 anos de repouso, Supervulcão italiano está prestes a despertar!

O que achou do conteúdo? Faça um comentário com a sua opinião!

Notícias Relacionadas

Gostaríamos de saber a sua opinião. Comente!