Home Mundo agora Tensão entre Estados Unidos e Rússia

Tensão entre Estados Unidos e Rússia

por Redação Momento Critico 19/04/2018

Nos últimos dias as tensões aumentaram entre Estados Unidos e Rússia devido aos supostos ataques químicos na Síria. A retaliação partiu de um ataque com a utilização de mísseis coordenados entre Estados Unidos, Reino Unido e França.

O governo sírio e seu principal aliado, a Rússia, dizem que o incidente químico foi encenado. Mas os Estados Unidos, o Reino Unido e a França, que apoiam a oposição a Assad, dizem estar confiantes de que o cloro e possivelmente algum agente nervoso foram utilizados.

Já as forças de coalizão dizem que os ataques existiram, que foram protagonizados pelo governo de Bashar al-Assad e que por isso a retaliação com utilização dos mísseis.

À partir daí começou o primeiro estágio de um iminente conflito entre Estados Unidos e Rússia denotando que já não são tão bons amigos como há um mês. Sansões foram impostas por ambos os lados. Tensões estão crescendo. Reuniões estão sendo marcadas, discussões sobre os próximos passos fazem parte da rotina dos governantes de ambos os países.

tensão entre estados unidos e rússia

As cartas estão na mesa

As forças armadas russas disseram na terça-feira dia 17 na mídia estatal que, descobriram um laboratório químico e um depósito em Douma supostamente dirigidos por “militantes”.

tensão entre estados unidos e rússiaRepresentantes dos EUA e da Rússia novamente se enfrentaram na terça-feira 17, sobre a Síria em uma reunião do Conselho de Segurança da ONU.

O embaixador russo na ONU, Vassily Nebenzia, chamou o comportamento dos EUA, do Reino Unido e da França de “hipócrita“.

“Nem mesmo um dia se passou após o ataque e seus organizadores já começaram a apresentar iniciativas estranhas e políticas”, disse Nebenzia.

Nebenzia passou a chamar Washington e seus aliados de “executores autonomeados” e os acusou de pressionar a Rússia a mudar sua posição após a última rodada de ataques aéreos e uma nova rodada de sanções .

A mídia russa informou que a reunião do Conselho de Segurança,  convocada a pedido da Rússia, se concentrou na situação humanitária no antigo reduto de Raqqa.

 

Inspetores atacados

Inspetores da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) estão tentando acessar a cidade de Douma, anteriormente controlada pelos rebeldes, onde como dissemos acima, organizações médicas e equipes de resgate dizem que as forças do presidente Bashar al-Assad lançaram bombas com produtos químicos tóxicos em abril, matando mais de 40 pessoas. O problema é que esses especialistas que já estavam por cinco dias na Síria tiveram que adiar a inspeção após  tiroteio em uma equipe de segurança da ONU a qual forçou a equipe a voltar atrás.

 

Teóricos da conspiração

Apesar da incerteza sobre o que realmente aconteceu em Douma, um grupo de influentes ativistas de mídia social está certo de que sabe o que ocorreu em 7 de abril.

tensão entre estados unidos e rússiaEles se apegaram a uma teoria que está sendo veiculada por algumas autoridades russas e meios de comunicações estatais que os ataques foram “encenados” ou eram uma operação de “false flag”, realizada por grupos ou espiões jihadistas para colocar a culpa em Assad e fornecer uma justificativa para a intervenção ocidental.

O grupo inclui ativistas e pessoas que se auto intitulam “jornalistas independentes“, vários têm seguidores no Twitter chegando às dezenas ou centenas de milhares.

Os ativistas chamam a si mesmos de “anti-guerra“, mas como geralmente apoiam as operações militares do governo sírio contra as forças rebeldes que tentam derrubar Assad e ataques aéreos russos realizados em apoio, pode ser mais preciso descrevê-los como “anti-ocidentais” ou “governo pró-sírio“.

De acordo com sua narrativa, as organizações internacionais de mídia em todo o espectro político, juntamente com organizações de direitos humanos, estão de alguma forma ligadas aos governos ocidentais, à Arábia Saudita, ao grupo do Estado Islâmico e à Al-Qaeda, participando de um plano secreto para tomar a Síria.

 

 

Russia faz entrega secreta na Síria

De acordo com fontes do regime pró-Síria, navios cargueiros enviados pela Rússia, estão descarregando carga pesada  em segredo na Síria, sob cobertura de fumaça e gás destinados a bloquear olhos intrometidos, sensores de satélites e drones.

 

Os ânimos estão exaltados

tensão entre estados unidos e rússiaDe um lado temos o presidente americano, novamente protagonizando uma crise. Em sua campanha ele disse que iria diminuir a influência americana em conflitos envolvendo outros países mas notadamente o que estamos vendo é o inverso.

De outro lado temos Putin que disse ”se tais ações, que são uma violação da Carta das Nações Unidas, voltarem a acontecer, isso provocará inevitavelmente o caos nas relações internacionais”, segundo um comunicado divulgado pelo Kremlin.

Será que estamos presenciando a “volta da Guerra Fria”?

Se for somente isso, estamos no lucro. Notem, caros leitores que; desde que o presidente Trump assumiu, as relações entre os Estados Unidos e alguns países do mundo, Coreia do Norte, China e Russia estão muito mais abaladas. As negociações são diferentes, os conflitos aparentam sempre iminentes.

Continuaremos atentos e acompanhando.

Notícias Relacionadas

Gostaríamos de saber a sua opinião. Comente!